Fazenda Retiro


A Fazenda Retiro está localizada no Paraíso, zona rural de Viçosa, na localidade conhecida, atualmente, como Deserto, em Viçosa - MG. A casa da Fazenda Retiro ainda existe e é conservada pela família. A Fazenda Retiro foi fundada em 1896, por Sebastião Ferreira da Silva, mais conhecido por Tão Ferreira. A fazenda produzia além do café, feijão, milho e arroz e leite.

Café, Viçosa e Brasil

O café era produzido em grande escala na Zona da Mata, nos finais do século 19 e início do século 20, As fazendas de Viçosa se cobriam de extensas manchas verdes dos cafezais. José Theotônio Pacheco era o Intendente de Viçosa de Santa Rita (de 1891 até 1897). Ele foi sucedido pelo agente executivo Francisco Machado de Magalhães Filho, entre 1898 e 1906. As primeiras eleições para prefeito só viriam a acontecer em 1947. A estrada de ferro já havia chegado a Viçosa de Santa Rita, em 1885.O Brasil vivia o segundo período da República Velha, Prudente José de Morais Barros foi o presidente do Brasil até 1898, sendo sucedido por Campos Sales. Iniciava-se a politica do café com leite, que consistiu no predomínio político dos cafeicultores de São Paulo e de Minas , que se revezavam ocupando a presidência do país.

A família Ferreira da Silva

Sebastião Ferreira era filho de José Ferreira da Silva e de Francisca Rosa da Silva (certidão de casamento de Sebatião Ferreira da Silva, Paroquia de Santa Rita, livro 2, página 170). Eram irmãos de Sebastião: Francisco Ferreira da Silva, Alexandre Ferreira da Silva, o Xaxá, Francisca Ferreira da Silva e Antônio Ferreira da Silva.


As 12 fazendas e a ESAV

Fazenda Campo Belo ou Fazenda do Xaxá, foto de Ítalo Stephan.
Fazenda Campo Belo ou Fazenda do Xaxá, foto de Ítalo Stephan.

Alexandre ou Xaxá era o proprietário da Fazenda Campo Belo ou Fazenda do Xaxá casado com Amélia Augusta de Paiva (1º casamento) e Antônia Isabel de Oliveira (2º casamento). Francisca Amélia de Alencar, Veridiano Ferreira da Silva, José Ferreira da Silva são filhos do 1º casamento e José de Araújo Ferreira, Alexandre Ferreira da Silva, Amélia Ferreira da Silva, Antônio Ferreira da Silva, Rafael Ferreira da Silva, Sebastião Ferreira da Silva, Maria Aparecida Ferreira da Silva, João Ferreira da Silva e Geraldo Ferreira da Silva são filhos do 2º casamento.

A Fazenda do Xaxá foi uma das 12 fazendas compradas, pelo estado de Minas Gerais, para a construção da então Escola Superior de Agricultura e Veterinária, a ESAV, hoje Universidade Federal de Viçosa (UFV). Para a criação da ESAV foram comprados 453 hectares de terra. A casa ainda existe, hoje faz parte do Departamento de Engenharia Florestal da UFV, a única que não foi demolida na época.

O casamento de Sebatião Ferreira

Família de Sebastião Ferreira da Silva e Rita Lopes Rosado, no centro, sentado na primeira fileira. Ao lado de Rita, Duca Ferreira e sua Esposa Francisca da Silva Araújo, grávida de José Ferreira da Silva (homônimo de seu avó).Foto: Arquivo pessoal da família Ferreira da Silva.
Família de Sebastião Ferreira da Silva e Rita Lopes Rosado, no centro, sentado na primeira fileira. Ao lado de Rita, Duca Ferreira e sua Esposa Francisca da Silva Araújo, grávida de José Ferreira da Silva (homônimo de seu avó).Foto: Arquivo pessoal da família Ferreira da Silva.


Tão Ferreira casou-se com Rita Lopes Rosado, em 25 de setembro de 1889. Rita era filha de Antônio Lopes Rosado e Ana Rita da Piedade.

Transcrição da certidão de casamento de Sebastião Ferreira da Silva e Rita Lopes Rosado, Paroquia de Santa Rita, livro 2, página 170, Viçosa, MG:

'Aos 25/09/1889 contraíram matrimonio em minha presença (...) Sebastião Ferreira da Silva e Rita Lopes Rosado, ele filho legitimo de José Ferreira da Silva e Francisca Roza da Silva, nascido e batizado nesta freguesia. ela filha legítima de Antônio da Silva Rosado e Anna Rita da Piedade, nascida e batizada nesta freguesia, onde reside. Foram dispensados pelo impedimento de consaguineidade em 3º grau (...), 2º e 3º lateral e 4º lateral igual (...).'

O casal teve 13 filhos: (1) Afonso Ferreira da Silva, (2) José Raimundo Ferreira da Silva (1896-1990, Duca Ferreira), (3) Francisca Paulina da Silva (Quita), (4) Amélia Ferreira Galvão,(5) Maria José da Silva (Mariquinha), (6)Ana Vitorina da Silva (Nana), (7)Antônio Ferreira da Silva (Totone), (8)Rita Ferreira da Silva, (9)Regina Ferreira da Silva, (10)Sebastião Ferreira da Silva (Tatão), (11)Francisco Ferreira da Silva (Chichico), (12) Maria da Conceição da Silva Guimarães (Sazinha), (13) Geraldo Ferreira da Silva.

Família Silva Araújo

O Alferes Francisco da Silva Araújo (1773-?) era filho de Manoel da Silva Araujo, natural de Braga, Portugal e de Dona Quiteria Maria do Espírito Santo, natural de Guarapiranga (Batizados em Guarapiranga, Arquivo Eclesiástico da Arquidiocese de Mariana, T15 fl. 63v.: 1803 - Piranga). Francisco da Silva Araújo e Emerenciana Antônia de Paiva (?-1815), detalhes dessa união pode ser vista acima, em "Família Martins Paiva". Um dos filhos, o Francisco da Silva Araújo ( hômonino do pai), casou-se com E tiveram x filhos. Um deles, Josè da Silva Araújo casou-se com Rita , uma das filhas do casal, de nome Francisca da Silva Araújo, casou-se com José Raimundo Ferreira, o Duca Ferreira. Sendo assim, os bisavós de Francisca eram Francisco da Silva Araújo e Emerenciana Antônia de Paiva.

Francisco da Silva Araújo Júnior morreu no dia 5 de dezembro e 1891, na fazenda São Benedito, um mês depois de sua pequena filha de apenas 8 anos, Evangelina Maria da Silva ter falecido, na Fazenda do Paiol. Veja a transcrição dos atestados de óbitos.

Atestado de óbito de Francisco da Silva Araújo, Arquivo da Paróquia de Santa Rita, Livro 2, folha 55, termo 58:1891 - Viçosa:

" Aos 6 dias do mês setembro de 1891, às 7 horas da tarde, do dia 5 do corrente mês, faleceu de morte natural no lugar denominado São Benedito, Francisco da Silva Araújo Júnior, lavrador, casado, natural de Piranga, filho legítimo de Francisco da Silva Araújo e Emerenciana Antônia de Paiva, sepulato no cemitério da Fábrica, dessa freguesia e para constar mandei lavrar este assento que assino. "

Atestado de óbito de Evangelina Maria da Silva, Arquivo da Paróquia de Santa Rita, livro 2 , folha 53, termo 51: 1891 - Viçosa:

" Aos 5 dias do més de novembro de mil oitocentos e noventa e um às 9 horas da noite, do dia 4 do corrente mês, faleceu de morte natural, no lugar denominado Paiol, desta freguesia, uma criança de nome, Evangelina Maria da Silva, filha legítima de Francisco da silva Araújo e Luiza Rosa da Silva, sepultada no cemitério da fábrica, desta freguesia. E para constar mandei labrar este assento que assino."

Escola Dom Silvério


Turma de 1954 da Escola Dom Silvério, ao fundo a professora Maria da Conceição Ferreira da Silva.
Turma de 1954 da Escola Dom Silvério, ao fundo a professora Maria da Conceição Ferreira da Silva.

 

Entre 1951 e 1956 passou a funcionar na fazenda Retiro a Escola Dom Silvério. Maria da Conceição Ferreira da Silva era a professora. Filha de José Raimundo Ferreira da Silva,o Duca Ferreira e Francisca da Silva Araújo. O funcionamento da Escola Dom Silvério foi graças ao empenho do então prefeito José Lopes de Carvalho eleito nas primeiras eleições diretas, após a queda do Estado Novo, em 1947.Funcionavam na zona rural do Paraíso, duas outras escolas, uma seria na estrada para a Mata do Paraíso, na casa de Pedro da Silva, pai da primeira professora a lecionar no Paraíso, Maria da Conceição Silva. Não conseguimos a localização da terceira escola. Essas escolas seriam conhecidas por Escolas Reunidas do Paraíso. A Escola Almiro Paraíso só seria oficialmente fundada, pelo governo estadual, em 28 de fevereiro de 1961.

Primeira escola do Paraíso, Professora Maria Conceição Silva.
Primeira escola do Paraíso, Professora Maria Conceição Silva.

Arthur da Silva Bernardes na Fazenda Retiro

Francisco Ferreira da Silva e Antônio da Silva Bernardes. Acervo pessoal da família Ferreira da Silva.
Francisco Ferreira da Silva e Antônio da Silva Bernardes. Acervo pessoal da família Ferreira da Silva.

A Fazenda Retiro provavelmente foi palco de importantes articulações politicas municipais e até mesmo nacionais. Arthur da Silva Bernardes e sua esposa Clélia Vaz de Mello, filha de Carlos Vaz de Mello, importante líder político, que foi senador, entre 1903 e 1904 foram assíduos frequentadores da fazenda Retiro e amigos da família. Assim como Antônio da Silva Bernardes, o Tavinho Bernardes, importante fazendeiro na época.Arthur da Silva Bernardes foi presidente do Brasil entre 1922 e 1926. Em 1927 ele tomou posse como senador, mas não conseguiu terminar seu mandato. Ele apoiou e chefiou as forças mineiras na Revolução Constitucionalista de 1932, também conhecida como Revolução de 1932. Foi o movimento armado ocorrido no estado de São Paulo, entre julho e outubro de 1932, que tinha por objetivo derrubar o governo provisório de Getúlio Vargas e a convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte.

A revolução foi sufocada e seus líderes perseguidos e exilados. Durante a perseguição, Arthur Bernardes escondeu-se , entre outras, na fazenda do amigo Tão Ferreira, a Fazenda Retiro. Ele permanecia escondido na mata durante o dia e a noite dormia na casa da fazenda. Era Sebastião Ferreira da Silva, sobrinho de Tão e Chico Ferreira , que fazia a ligação entre Bernardes Filho, no Rio de Janeiro, e Bernardes em Viçosa. Arthur Bernardes foi preso na Fazenda Bom Jardim, ou Fazenda da Luíza, propriedade de Cornélio de Paula Lana, em 23 de setembro de 1932. Ele ficou confinado no Rio de Janeiro até partir para o exílio, em Portugal. Ele retornaria ao Brasil em 1934.

Duca Ferreira e a Fazenda Retiro

José Raimundo Ferreira da Silva, o Duca Ferreira viveu com a esposa Francisca de Araújo Ferreira da Silva e os filhos, na Fazenda Criciúma. O Sogro, José da Silva  Araújo era o proprietário da fazenda Criciúma. A Fazenda Criciúma também foi comprada pelo estado de Minas Gerais, para a construção da ESAV. A casa da fazenda Criciúma foi demolida, atualmente é a Avicultura da UFV.Em 1929, aconteceu uma crise finaceira nos EUA que afetou o Brasil, um grande exportador de café. O preço do café caiu muito, arruinando muitos fazendeiros.Quando Tão Ferreira adoeceu, ele chamou o filho Duca Ferreira para ajudá-lo na Fazenda Retiro. Duca Ferreira passou então a morar definitivamente na Fazenda Retiro até a sua morte em 1990.

Sebastião e a floresta

Hoje uma floresta emoldura a casa da fazenda, obra de um dos filhos de Duca Ferreira, Sebastião de Araújo Ferreira da Silva, que se tornou botânico e sensibilizou a família para a sua conservação. Mas, ela já não é tão exuberante quando, em 1818, os naturalistas alemães Johann Baptist von Spix e Carl Friedrich Philipp von Martius passaram por aqui:'Ao cair da noite alcançamos um vale alto, bonito e achamos agasalho numa fazenda perto da Capela de Santa Rita. Muito mais penosa foi a do dia subsequente; mal havíamos cortado o vale alagadiço, achamo-nos diante da espessura de certa mata, na qual parecia nunca haver penetrado o sol. (...). A picada era tão estreita, que a custo passava uma mula atrás da outra, tétrica como o inferno de Dante fechava-se a mata, e cada vez se estreitava e mais íngreme se tornava , pelo labirínticos meandros, até ao profundo abismo, por onde correm águas tumultosas de riachos, e, ora aqui, ora ali, jazem blocos de rocha, que soltaram. Ao horror, que esta solidão infundia na alma, acrescentava-se ainda a aflitiva perspectiva de um ataque de animais ferozes ou de índios malévolos, que nossa imaginação figurava em pavorosos quadros, com os mais lúgubres pressentimentos. Indizível foi, portanto, o nosso alívio, quando chegamos, finalmente, ao outro lado da serra de são Geraldo, e vimos luzirem cada vez mais claros os vislumbres do dia.'
Spix e Martius, 1818.

Agradecimentos

Aqui foram relatadas as memórias de Maria da Conceição Ferreira da Silva, Teresa Ferreira da Silva, José Ferreira da Silva ( netos de Tão Ferreira), Maria Conceição da Silva (neta de Chico Ferreira) e Eduardo Ferreira (bisneto de Tão Ferreira). Agradecemos a todos por compartilhar suas memórias. Ficamos muito felizes ao saber que nossa pequisa ajudou o Sr. José Ferreira a tomar conhecimento de que tem o memo nome de seu bisavó e a conhecer o nome de sua bisavó. Agradecemos também a Paroquia de Santa Rita em especial a Eliana, que sempre nos atendeu prontamente e com muita simpatia e a curia de Mariana.

Fontes:

COSTA, F. A. A. . Riqueza e escravidão em uma localidade da Zona da Mata Mineira - Santa Rita do Turvo 1850/59. Heera (UFJF. Online), v. 8, p. 30-50, 2013.

PANIAGO, Maria do Carmo Tafuri. Evolução História e Tendências de Mudanças Sócio-Culturais na Comunidade de Viçosa - MG. 1983. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 1983.
REZENDE, Irene Nogueira de. Negócios na participação política: fazendeiros da Zona da Mata de Minas Gerais (1821-1841). 2008. Tese (Doutorado). Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.