Area de Proteção Ambiental São Bartolomeu

31/05/2017

A Associação do Paraíso não concorda de como está sendo conduzido o processo de criação da APA São Bartolomeu. Em reunião com o professor Gumercindo Souza Lima, do Departamento de Engenharia Florestal da UFV e a  Diretora do Departamento de Meio Ambiente, da Prefeitura de Viçosa, no dia 25/5, na Escola Municipal Almiro Paraíso,  a Associação Comunitária do Paraíso comunicou sua apreensão, quanto condução da criação da APA e pediu o adiamento da audiência, marcado para 5 de junho. Mas, já na reunião a Diretora, disse não poder acatar o pedido. Uma carta no memo dia foi redigida e enviada a diretora, oficializando o pedido. Segue a transcrição da carta:

Viçosa, 25 de maio de 2017

Senhora Diretora de Meio Ambiente,

Em reunião realizada no dia 25 de maio de 2017 na Escola Municipal Almiro Paraíso, os participantes, unanimemente, consideraram fundamental que a consulta pública sobre a proposta de criação da APA do São Bartolomeu seja adiada, já que, até o dia 5 de junho de 2017, não há tempo hábil para que a comunidade que reside na área tenha conhecimento da proposta. Além disso, para que as pessoas tenham conhecimento do que significa esta proposta, outras medidas precisam ser tomadas, como as que apresentamos a seguir:

  1. Que seja feita uma visita aos moradores de toda a área dentro dos limites da APA explicando os pontos principais de uma APA, esclarecendo dúvidas, e principalmente, anotando as dúvidas, receios e anseios dos moradores. Este momento seria ideal para se coletar dados sobre a comunidade, que podem subsidiar as fases posteriores do Projeto.
  2. Que se produza uma cartilha ou um folder para entregar aos moradores tratando do que é uma APA e as principais implicações da sua criação, com uma linguagem clara, objetiva e de fácil entendimento.
  3. Que a consulta pública seja feita em local de fácil acesso da comunidade, facilitando o transporte das pessoas. A Escola Municipal Almiro Paraíso é uma sugestão de local. Que esta consulta aconteça em dia e horário adequados para a população da zona rural.
  4. Que programas de rádio, jornais locais e redes sociais sejam utilizados para ampliar as informações e as discussões sobre a APA.
  5. Que as crianças da Escola Municipal Almiro Paraíso sejam envolvidas neste debate, afinal, é possível que elas sofram mais o impacto da criação do APA do que as gerações mais velhas.

Sugerimos ainda que pessoas da comunidade sejam envolvidas na coleta de dados, o que vai facilitar a receptividade dos moradores e promover maior conhecimento do assunto entre os moradores.

Favorecer que moradores de área rural conheçam um projeto que diz respeito ao local onde residem e de onde, muitas vezes, retiram o seu sustento, que possam esclarecer dúvidas e apresentar sugestões de melhorias para este ambiente é facilitar o exercício da cidadania a uma população que, em geral, tem menos direitos como cidadãos, pois, frequentemente, tem menor poder aquisitivo, menos acesso a serviços públicos como saúde, transporte, segurança, educação, cultura, esporte, lazer, dentre outros.

A Associação Comunitária do Paraíso se dispõe a auxiliar tanto da elaboração do material de divulgação, quanto na orientação das pessoas que visitarão as casas, bem como em outras fases do processo.

Atenciosamente,

Gilmar Joaquim Nogueira Cardoso

Presidente da Associação Comunitária do Paraíso